domingo, 29 de janeiro de 2017

Desconstruindo a Jornada



Vidas perdidas, verdades renascidas, um mundo destruído, outros tantos construídos.
Nada se esvai sem que haja um novo nascimento.
E o eterno ciclo divino permanece intacto, perfeito, belo.
Lágrimas são expressões da alma, mesmo quando a mente doente faz cair sem assim merecer.
O sorriso é alimento para o corpo, relaxa, produz bem estar, apaga as marcas antes deixada pelas amarguras aquosas.
Sobe a alma atordoada, deixa o corpo renegado, altivez e liberdade, sente-se livre de verdade. Sofrimentos na solidão, mágoas reprimidas, sentimentos sem norte, sem rumo, sem necessidade na verdade. Mesmo assim sofre a alma perdida, recém saída das correntes cármicas.
Voz ao longe, é bálsamo que a consome, não mais chora a alma perdida, sequer mais se sente assim, palpita coração que nem tem, esperança de findar aquela solidão.
É um pai, uma mãe, um avô, um amigo, um anjo, uma entidade, não importa a identidade. Palavras que invadem seus ouvidos, outrora perdidos, trazem luz à perdição.
Passa um filme, relembra deslizes, fraquezas, maus tratos, vergonha que assola, em sua mente ecoa, a voz da redenção.
Diz o amigo, "Irmão vem comigo, é hora de descansar".
Tudo começa a sumir, tal neblina na colina e no meio desta, uma nova vida, novos rumos, nova casa, sem medo, sem angústia, sem ausência daquilo que parecia vida, mas então descobri o que vale de verdade, na dolorida evolução.

Um amigo

Pelo Médium
Pai Boanerges de Ogum