terça-feira, 25 de abril de 2017

Agradável ao Senhor

Defeitos todos temos, não diria nem que uns mais outros menos, diria que cada um tem problemas específicos de sua realidade, seja financeira, emocional, familiar.
Não adianta buscarmos a perfeição nas atitudes dos nossos irmãos, quando sequer controlamos nossas ações e palavras. Como definiríamos a verdadeira caridade ensinado por Jesus Cristo? Será mesmo que compreendemos a profundidade de seus ensinamentos, ou é apenas conveniente interpretar suas santas palavras? Será que praticamos 20% desses ensinamentos?
Não é incomum alguém justificar suas ações com uma passagem bíblica, seria justo essa explicação?
A verdadeira caridade não se justifica, não se amostra aos demais, ela é oculta, é santa, é sincera. "De que adianta dar o que te sobra? Por acaso tens mais que um par de pés, ou vestirás mais que duas túnicas ao mesmo tempo? Em verdade vos digo, aquele que dá o que não tem nem o suficiente para si, tem mais valor para o Senhor que aquele que doa as moedas de ouro que lhe sobram". Quando foi a última vez que doaste algo que te é caro? Quando foi que a última vez que deixou de comer o melhor pão para alimentar um faminto? Eis o que deixo a todos vós meus irmãos, enquanto houver um só irmão passando  fome, não usufrua daquilo que é supérfluo, não esperes a graça se não é capaz de doar graça, de ficar descalço enquanto teu irmão desfruta de tua sandália, de sentir frio enquanto teu irmão se reconforta em tuas vestes. O que tem haver caridade com teus defeitos? "E não haverá um só justo que não tenha perdoado pelo Senhor as suas faltas, pois colocou sempre a frente de suas necessidades as lágrimas de seus irmãos aflitos". Não brade o nome do Senhor, isso não lhe é agradável, brade a voz da compaixão e da piedade fraternal, pois além de louvar o Seu nome, terás reservado a ti lugar de honra à sua mesa.

Boanerges Teixeira
(E colaboradores espirituais)