quarta-feira, 20 de junho de 2012

Desejos mesquinhos. (mensagem recebida em 20/06/12)

                                                       
Um dia nossos compromissos matrimoniais terão um sentido maior que o de hoje em dia. As pessoas farão laços para que durem pela eternidade e não por questões de interesse material. Eu gostaria que todos vocês se voltassem para dentro de si mesmos e colocassem a seguinte pergunta: de que adianta uma pessoa que tenha uma capacidade financeira elevada e não possui discernimento moral? O que mais tem a oferecer se não os valores ao invés de sentimentos? Coloquem-se a pensar sobre determinado fato, e determinem-se em encontrar um sentido mais favorável as suas caminhadas quando decidirem colocar alguém em suas vidas. Não se prendam de maneira limitada ao sentido de material aqui mencionado. Essa também pode ser uma pessoa muito cheia de saúde, se é que entendem, e mesmo assim continuar sem qualquer valor moral, como na grande maioria das vezes é uma voltada somente ao corpo. Devem estar fartos de si mesmos e não como se estivessem vazios precisando ser abastecidos por alguém. É preciso antes de tudo amor próprio ao invés de se atirar nos braços de alguém esperando que esse alguém lhe conduza a um maior sentido de si mesmo. Não façam isso! Deem-se o devido valor ao invés de se colocarem nas mãos de alguma pessoa que, no mais, nem sabe se é realmente aquela que vai lhe doar tudo de si, e sim, pode haver um compromisso baseado no amor próprio, desde que esse amor não seja mesquinho, desde que ele o faça se sentir completo em si mesmo e não se colocando superior ao que se diz ser parceiro. Eu e meu amigo sabemos que isso não é tão fácil assim de encontrar, e nada é por acaso. Sintam antes de tudo, vocês são seres sensíveis e imateriais, e têm a capacidade de poder sentir quem é quem no jogo da vida. Uma boa sorte a todos que se interessam por uma pessoa de verdade.

C.